Vinícius de Moraes, poeta brasileiro de corpo e alma

vinicius-de-moraes

Nascido em 19 de outubro de 1913, Vinícius de Moraes completaria em 2013 cem anos de vida. Ainda que, ele não precisou de muito tempo para que seu nome, sua música e todas as suas realizações ficassem gravadas pra sempre na história do Brasil e do mundo. Carioca da Gávea, filho de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes, funcionário da prefeitura, poeta, violonista amador, e de Lídia Cruz de Moraes, pianista também amadora.

Conhecido pelo apelido de poetinha, carinhosamente atribuído pelo músico e compositor e parceiro Tom Jobim, Vinícius de Moraes foi músico, poeta, compositor, diplomata, jornalista e dramaturgo. Começou a compor aos 15 anos de idade, e em 1933 lançou seu primeiro livro de poemas, nessa mesma época se formou em Direito e concluiu o Curso Oficial de Reserva.

Em 1938 ganhou uma bolsa para estudar na Universidade de Oxford, na Inglaterra, e ao retornar entrou para o Ministério das Relações Exteriores. Atuou como diplomata a partir de 1943, onde passou pelos Estados Unidos, Uruguai e França. Mesmo fora dessa carreira, percorreu diversos países, praticando a profissão de jornalista, e escrevendo seus poemas e demais obras literárias.

Um homem apaixonado pela vida e pelas mulheres, casou-se nove vezes e viveu a vida intensamente. Seus poemas, após certo tempo, passaram a retratar a realidade social do Brasil e, sobretudo suas paixões e a temática do amor passou a ser o eixo central de sua poesia. Os sonetos e poemas desse período marcaram a história da literatura e da música brasileira.

Foi em parceria com Tom Jobim que Vinícius compôs o clássico Garota de Ipanema e muitas outras canções da Bossa Nova que alcançaram o mundo, sendo cantadas por músicos ilustres internacionais e reproduzidas em muitos idiomas. Também fizeram parte de suas parcerias musicais Baden Powell, João Gilberto, e principalmente Toquinho que musicou e cantou inúmeras canções junto ao poetinha.

Vinicius e Toquinho

Ele levou a poesia e o charme da mulher brasileira e do Brasil aos quatro cantos do planeta. Com seus poemas Vinícius conquistou admiradores com sua forma de viver a vida intensamente, se apaixonando pelos lugares e pessoas, em casa lugar em que vivia, deixando amigos e paixões. Uma de suas frases mais famosa expressa a forma com que levou sua vida e sua história: “A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida”.

Clássico, Garota de Ipanema

Um sucesso, cantado com Toquinho e Miúcha

Bossa Nova no bosque da Unesp

As vezes o acaso e algumas intenpéries do tempo e do espaço fizeram com que as aulas não fossem sempre na mesma sala. O que no caso desse dia, em específico, foi muito bom.

Outro acaso foi a mãe da minha amiga Ana estar em Bauru em uma das quintas-ferias que a gente tinha o curso. E ela, com toda sua simpatia, energia positiva e é claro, seu talento único para cantar e tocar no violão as melhores músicas da Bossa Nova e da MPB, fez de uma de nossas aulas um momento interessante e eu diria até que mágico.

Na minha opinião, a música é uma das melhores maneiras de sensibilizar as pessoas, para um conhecimento e uma sensação diferente de qualquer coisa. É por isso que eu sempre procuro levar alguma referência musical (desse vasto e diverso terreno que é a música brasileira) para que cada um possa levar para o seu país um poquinho mais do Brasil, através de melodias e da poesia que exala em muitas canções que escutamos.

A tia Cládia nos acompanhou, e por uma questão errada (que no fim deu certo) de logística, ficamos sem a chave da sala onde as reuniões normalmente acontecem. Por isso, nos juntamos e fomos até o bosque da faculdade. E quer lugar melhor para ouvir uma boa música? Não deu outra. O clima do lugar veio a calhar com a ideia de interação, e todos sentados em roda ouviram e cantaram junto com ela.

Entre uma música e outra aconteceu um bate-papo sobre a origem da Bossa Nova. E com demonstrações ritmicas no violão ela ia demonstrando aos alunos cada uma das características do estilo que também ficou conhecido como “música de apartamento”

No final, todos com a letra em mãos, cantamos Garota de Ipanema de Tom Jobim. Acho que não dá pra descrever a sensação e a felicidade de todos no final. Abraços e beijos de agradecimento a nossa musicista que encheu de encanto essa aula. Tenho certeza que esse dia foi “um” dos mais inesquecíveis entre todos os momentos que compartilhamos.

Esse é o link da galera no bosque, cantando: